Volta Redonda tem saldo positivo na geração de emprego

Cidade teve o melhor resultado entre as cidades da região em novembro

Os números de empregos formais criados em Volta Redonda fecharam com saldo positivo em outubro e novembro de 2017. Os dados são do Cadastro Geral de Empregos e Desemprego (Caged), órgão do Ministério do Trabalho. A geração de emprego no município contrasta com o resultado de todo o estado do Rio de Janeiro, que perdeu 12.292 vagas só em novembro.Somente em novembro, foram criadas 1.616 vagas com carteira assinada, enquanto ocorreram 1.337 demissões, fechando o saldo de 279 empregos.

O resultado alcançado por Volta Redonda é o melhor entre todas as cidades do Médio Paraíba. Somando os meses de outubro e novembro, a cidade teve saldo positivo de 338 vagas, tendo 3.146 admissões contra 2.808 demissões.

O prefeito Samuca Silva comemorou o saldo positivo na geração de empregos do município. “Os números demonstram a retomada da economia e a confiança dos empresários. Nossa meta para 2018 é buscar ainda mais o desenvolvimento econômico e geração de empregos”, destacou o prefeito, ressaltando diversas ações do governo municipal para incentivar a economia.

“Pela primeira vez, fizemos um grande cadastramento de ambulantes, os tirando da informalidade. Também tivemos o retorno das obras de construção do shopping Park Sul, além de ter lançado o Rua de Compras, para fomentar o comércio, evento copiado por outras cidades. Nossa cidade está com novo ambiente de negócios, atraindo investimentos. Em 2018, vamos em várias empresas para apresentar as vantagens de investir em Volta Redonda”, acrescentou Samuca, salientando o objetivo do governo de atrair novas empresas para a cidade em 2018.

Já o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Joselito Magalhães, destacou ações da administração municipal que ajudaram na retomada dos empregos.

“Criamos todo um processo de desburocratização para a retirada de alvará, que hoje chega a ser liberado em 24 horas. Também houve a extinção das taxas cobradas para os microempreendedores individuais (MEI) e a nova Lei do Livre Comércio. Conseguimos esse ano registrar mais 1,7 mil novos MEIs. O governo Samuca viabilizou uma melhora no ambiente de negócios que gerou bons resultados”, frisou o secretário.

No Comments Yet.

Leave a comment